O Núcleo Contemporâneo completa, em 2015, 18  anos de existência.

 

Gostaríamos de compartilhar algumas reflexões que tem pautado  o nosso trabalho.  

 

Este percurso foi sem dúvida,  marcado por  descobertas e desafios. Trabalhando cotidianamente para consolidar uma plataforma que permita viver da música,  como experiência criativa, em muitos dos seus aspectos. Enumeramos abaixo alguns pontos fundamentais, para nós, desta vivência. 

 

1 - Liberdade e amplitude do processo criativo  - Pensar não apenas a música em si, como também as relações culturais envolvidas a partir do fato de  ter nascido em um país, em um determinado tempo e em uma determinada região cultural. Que tradições envolvem esta cultura como um todo? Que linha de continuidade temos para com esta cultura? Em que continente vivemos? Que pontes podemos criar, que não nos são dadas a priori por nossa educação? (América Contemporânea). Que outras relações não tão evidentes podemos buscar? (Índia, Marrocos, Coréia, África do Sul) - não pelo exotismo, mas pela experiência humana e riqueza destes encontros. 

 

2 - Horizontalidade - Somos uma equipe. Existe uma visão: qual a direção. Mas o artista não é o único criador. Existem profissionais na produção, na arte gráfica, na comunicação, na administração do projeto. Há toda uma cadeia de agentes culturais hoje, sem os quais não se poderia imaginar o cenário cultural que temos. Festivais, centros culturais, publicações, sites, coletivos e até lojistas de discos (ainda!). Enfim: REDES sem as quais não é possível imaginar uma atuação continuada neste meio. Somos parte de um campo, que, esperamos, seja fértil.

(E aqui, como no universo da agricultura, a diversidade é essencial, enquanto a monocultura simboliza a estagnação).

 

3 - Autonomia - Por muito tempo (e ainda hoje) o artista se apresentou como alguém frágil, desconectado da realidade. Esta imagem é muito conveniente para muitos setores da sociedade, que vêem a criação como algo irreal e muito pouco prático. Queremos, ao contrário disso, afirmar o artista como alguém capacitado para pensar o seu próprio universo - com perspectivas próprias, originais e, por que não, práticas. 

 

4 - "Reinventando a roda" - Procuramos ter consciência dos processos que envolvem cada fase do nosso trabalho -  da composição à gravação, da criação da capa à fabricação e difusão, da distribuição à circulação. Em todas elas, vamos refletindo e buscando o melhor caminho, seja no produto físico, seja no universo digital. Ainda temos muito a aprender, considerando também o fato de que vivemos em um mundo em constante transformação e que as formas de produção e difusão seguem se reinventando.

 

5 - Público - Consideramos que o público que manifesta interesse por nosso projeto é um público ativo, que busca a informação e compartilha, em geral e em seu próprio campo de atividade, as nossas preocupações e também procura por novas soluções. Esse público está em todas as partes do nosso país e do mundo, e não é massivo. Isso faz com que nosso público tenha um rosto e uma identidade.

 

6 - "Small is beautiful" - a ideia de crescimento ilimitado nos parece um desses grandes enganos do nosso tempo. Há que buscar ser sustentável, e ao mesmo tempo manter-se pequeno. Dar espaço aos processos artesanais. Trabalhar com números possíveis. Entender o sucesso de uma outra forma. 

 

7 - CASA DO NÚCLEO - o desejo de criar um espaço para apresentações em um clima de atenção, respeito  e concentração. Um local de encontro - reflexão, sobre todas as questões acima apontadas. Disponibilizar um acervo em áudio, vídeo e publicações, coletados nos últimos 20 anos, em encontros pelo país e no mundo.

 

8 - ASSOCIAÇÃO AMIGOS DA CASA DO NÚCLEO: Recentemente fomos confrontados com a questão de como manter todas estas atividades, com qualidade e presença e ao mesmo tempo sem prejuízo da atenção que procuramos ter em todas as frentes deste projeto. 

 

Assim, a primeira opção que nos pareceu mais razoável foi interromper as atividades da Casa. Mas a reação de um grupo de pessoas, afins com esta iniciativa, nos levou a pensar em outras possibilidades - a principal delas, a partir da sugestão deste grupo, foi a criação da Associação de Amigos. 

 

Em toda a trajetória do Núcleo, procuramos sempre trabalhar com recursos próprios. Assim, raramente recorremos a editais e patrocínios. Ficamos portanto, com este desafio, de buscar uma ação que fosse colaborativa e coerente com os nossos propósitos e história.

 

O caminho que nos pareceu mais coerente com esta visão foi a criação desta Associação, que envolvesse diretamente o público interessado na continuidade da Casa, sua programação e projetos.

POR QUÊ?

Aqui você pode escolher a melhor forma de colaborar e entender melhor as contrapartidas

APLAUSO
 
Contribuição
R$ 50 por mês (1 ano)

 

Contrapartidas

• 50% de desconto em 2 apresentações na Casa do Núcleo por mês

 

 

 

BANDA DE CORETO

 

Contribuição

R$ 500 por mês (1 ano)

 

Contrapartidas

• 2 CDs da gravadora Núcleo

Contemporâneo por mês

 

• 50 % de desconto em 5 apresentações

na Casa do Núcleo por mês

 

• 50% de desconto em 3 outras atividades

da Casa (encontros, oficinas, seminários e diálogo) por mês

 

• Participação gratuita no Encontro/

Audição da Casa do Núcleo

 

PIANO SOLO

 

 

Contribuição

R$ 150 por mês (1 ano)

 

 

Contrapartidas

• 1 CD da gravadora Núcleo

Contemporâneo por mês

 

• 50% de desconto em 2 apresentações

na Casa do Núcleo por mês

 

• 50% de desconto em 2 outras atividades

da Casa (encontros, oficinas, seminários e diálogo) por mês

 

• Participação gratuita no Encontro/

Audição da Casa do Núcleo

ORQUESTRA DE MARACATÚ

 

Contribuição

R$ 1.000 por mês (1 ano)

 

Contrapartidas

• 2 CDs da gravadora Núcleo

Contemporâneo por mês

 

• 50 % de desconto em todas as

apresentações na Casa do Núcleo

 

• 50% de desconto em todas as outras atividades da Casa (encontros, oficinas, seminários e diálogo)

 

• Participação gratuita no Encontro/
Audição Casa do Núcleo

 

• Uso da casa, para fins culturais e sociais, uma vez a cada 3 meses

GRUPO DE CHORO

 

Contribuição

R$ 300 por mês (1 ano)

 

Contrapartidas

• 2 CDs da gravadora Núcleo

Contemporâneo por mês por mês

 

• 50% de desconto em 3 apresentações 

na Casa do Núcleo por mês

 

• 50% de desconto em 3 outras atividades

da Casa (encontros, oficinas, seminários e diálogo) por mês

 

• Participação gratuita no Encontro/

Audição Casa do Núcleo

DOAÇÃO

 

 

Qualquer valor

O pagamento pode ser feito diretamente na Casa do Núcleo (por cartão de crédito em 12x) ou clicando nos botões do PagSeguro*

* ao clicar no botão de assinatura ou doação, abrirá uma nova página (ou aba) para o site do PagSeguro, onde poderá efuar o pagamento por cartão de crédito (em 12x),

cartão de débito, boleto ou débito em conta.

Encontro/Audição Casa do Núcleo

 

O encontro mensal, exclusivo para os associados da Casa do Núcleo, pretende ser uma janela aberta para a música do mundo através

da audição de CDs e discos e também a projeção de documentários musicaismuitas vezes com a presença de

um especialista naquele universo abordado. Os encontros começarão com uma audição do acervo focada em uma cultura, país ou região

pré-selecionada pela curadoria da Casa. Exemplos: música da  Colômbia, dos garífunas da América Central, ou dos Balcãs, etc.

 

Complementando a audição, teremos sempre uma roda  de conversa informal sobre o tema e também sobre

a cultura na cidade de São Paulo e no mundo.

 

 

Acesse os links abaixo para conhecer:
 

O catálogo de CDs do Selo Núcleo Contemporâneo, as oficinas já realizadas e a agenda de shows da Casa do Núcleo.

Saiba mais, acompanhe, faça parte

www.casadonucleo.com.br

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Tumblr Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Flickr Icon
  • Grey SoundCloud Icon
 

COMO PARTICIPAR?

 
 

7

NÚMERO DE ASSOCIADOS

TOTAL ARRECADADO POR MÊS

R$1.750

R$6.300

META INICIAL (MENSAL)